Liderança

Liderança hoje, coisa rara de se ver.

2018-01-31

Assistindo o filme “Luta de titãs”, logo no seu início o protagonista diz a seguinte frase: “As atitudes espelham a liderança”, e só por essa frase valeu a pena o filme todo.

Sobre liderança o Dr. John Edmund Haggai, tem a seguinte definição: Liderar é se esforçar para influenciar de forma consciente um determinado grupo para leva-lo a atingir metas de permanente benefício, que atendam as suas reais necessidades.

Apesar de tantas pessoas buscarem a posição de liderança temos no Brasil uma grande crise de liderança, no governo, nas empresas, na igreja e nas organizações sociais, pois nossa sociedade, muitas vezes, tem a sua frente uma liderança doentia, que não evolui (cresce), que não percebe (sente) a reação dos liderados a tempo de agir, que tratam todos como coisas e não respeitam os sentimentos individuais, que não aprimoram suas qualidades e não corrigem suas deficiências, espero que essa seja apenas uma fase de transição, uma entressafra, uma limpeza do estoque de sementes, onde só tinha semente ruins visando uma necessária renovação.

Nossa liderança de forma egoísta, influencia não com finalidade de levar benefícios aos liderados, mas em atingir metas de benefício próprio e nunca o do próximo, como se o próximo não fosse parte do todo e dele mesmo, isso não é um líder de verdade, apenas uma semente ruim que precisa ser extirpada.

Muitos líderes querem apenas a posição de liderança e seus benefícios, mas não querem viver em integridade e não aceitam o custo dessa liderança, se acovardam e se apequenam diante das grandes necessidades que estão à frente. São homens e mulheres com uma visão míope, distorcida e embaçada que não valorizam a oportunidade de fazer o bem por meio das habilidades que Deus lhe deu, pois não compreendam que existe um “pagamento” por seu esforço, que não é dinheiro ou riqueza material, mas principalmente o prazer de realização do bem à toda a sociedade. Não arriscam sua pele (vida/status/dinheiro/etc.) pelo risco de liderar. Certa vez ouvi a seguinte frase: “Na vida quem não tem um motivo para morrer não está preparado para viver”, em síntese quem quer liderar de verdade deve ter certeza do seu objetivo, onde quer chegar e avaliar se no meio do caminho diante de grandes dificuldades estará disposto a arriscar a sua pele para atingir a visão proposta inicialmente, a ponto de pagar alto preço. O motivo de nossa liderança deve valer a pena para que se inicie o processo de liderança. Não preciso de um líder que busca apenas seu próprio benefício.

O verdadeiro líder exerce sua influência 24 horas por dia, 7 dias por semana. O líder influencia em todo o tempo e não só quando está diante dos seus liderados. A verdadeira liderança é um estilo de vida que marca as pessoas pelos benefícios que essa liderança traz. O mundo está ansioso, sedento por essa liderança que tenha de forma bem clara suas metas para que a sociedade se identifique ou não com essas metas e não líderes que mudam de posição a toda hora, mas uma liderança com firmeza de propósitos avalizados por sua história de vida e metas que priorizam o próximo e a sociedade como um todo.

Uma vez ouvi a seguinte frase: Dê o que eles querem para poder dar o que eles precisam. Essa intricada frase mexeu comigo. Nem sempre o que as pessoas querem é o que elas precisam, mas infelizmente às vezes precisamos dar para as pessoas o que elas querem primeiro, para depois darmos o que realmente elas precisam. Ninguém está disposto a ouvir outrem se não houver identificação (é do meu grupo ou tribo) de ambas as partes. Não adianta olhar para as pessoas e descobrir a real necessidade daquela pessoa se não conseguirmos nos comunicar com ela e isso demanda humildade. Para suprir a real necessidade das pessoas precisamos primeiro nos relacionarmos com elas a ponto de gerar confiança e depois lidera-las para o bem comum, portanto pergunto, onde posso sustentar minha confiança pelos meus líderes? Posso confiar no meu chefe? Que razão tenho eu para confiar nos políticos? Por que acreditar no religioso? Não confio em líderes que se acham deuses, intocáveis, perfeitos, superiores. Não precisamos de chefes, precisamos de líderes.

É ASSIM QUE VEJO:

Nossa crise não é financeira, política, religiosa, não. Nossa crise é de liderança.